The Last of Us

Exclusivo para Playstation, The Last of Us é considerado por inúmeras pessoas como o melhor jogo de todos os tempos. Houve uma votação, feita pela revista Empire, que deixou o produto no topo. O público o elegeu, mas os especialistas envolvidos concordaram com o resultado. Mas você sabe porquê ele é o melhor?

The Last of Us foi lançado em 2013, desenvolvido pela Naughty Dog e publicado pela Sony, ganhando os corações do público de imediato. Foi um sucesso, vendendo mais de oito milhões de cópias após 14 meses de seu lançamento. Foi aí que a PSN assumiu a ponta, superando a Xbox Live, quando o assunto é “jogos exclusivos”.

A franquia Halo possui muita qualidade e popularidade, mas não chega nem perto de The Last of Us. O tipo de jogabilidade em terceira pessoa, podendo controlar mais do que um personagem e com um universo pós apocalíptico, esses são grandes atrativos. Porém, a história é o elemento principal, mesmo que a ação seja excelente. O que motiva os personagens a realizarem determinado ato, as discussões, os dilemas. Tudo isso é unificado e faz com que seja mais do que somente um jogo.

Após cinco anos do lançamento, muitas pessoas ainda cogitam a criação de um filme baseado no jogo, mas os próprios criadores já descartaram a hipótese, por se tratar de um “filme jogável”. Os gráficos que emulam perfeitamente personagens reais contribuem muito para que isso não aconteça. Os roteiristas conseguiram criar algo que espantou a própria PSN, que não esperava um sucesso tão grande de imediato.

A trama conquistou tanto o público por conta da complexidade. Joel, personagem principal, perde sua filha quando começa a epidemia que transforma pessoas em monstros. Porém, não foi um dos infectados que a matou. O controle do governo em uma situação extrema é muito bem explorado e se torna uma crítica bem atrativa. Além disso, o personagem principal recebe uma missão: levar uma jovem a um esconderijo da resistência, que luta contra as autoridades. A menina teria a mesma praticamente a mesma idade da filha de Joel e ela é imune ao vírus, podendo ser a solução de todo o problema.

Os dois possuem personalidades fortes, o que rende ótimos diálogos e situações complicadas. Esse envolvimento é um diferencial para o game, algo que acaba sendo difícil de encontrar em jogos de ação. Mesmo em The Walking Dead, que já tem a proposta de falar sobre assuntos extremamente humanos com o pretexto do apocalipse zumbi, não possui uma dramaticidade equivalente à de The Last of Us.

Acaba sendo difícil de explicar com palavras a complexidade da história e o quão genial ela é, mas ao jogar, é possível sentir na pele tudo o que citei acima. Se trata, realmente, do melhor jogo de todos os tempos e será muito difícil que outro produto o supere. Afinal, a segunda parte do game será lançada neste ano e promete ser ainda melhor.